FOLAC 2016 – MONTEVIDEO – URUGUAI

FOLAC 2016 – MONTEVIDEO – URUGUAI

Um grupo de vinte e um associados, dos nossos Clubes do DML, participou deste evento, durante o período de 19 a 23 de janeiro, seguindo, após, em excursão rodoviária pelo Uruguai, no período de 18 a 29. Muito boa viagem e passeios. Coexistiu ótimo relacionamento entre todos os participantes, o que foi muito legal. Em relação ao FOLAC, este editor pode participar de algumas palestras interessantes, principalmente aquelas suportadas por exemplos práticos e correlacionadas com o ambiente de Clube. Em algumas delas se permitiu formular perguntas escritas. De tudo visto, ouvido e presenciado, apenas nos causa certo desconforto ver e ouvir sobre a necessidade de nos renovarmos e de sermos democráticos em nossos Clubes, permitindo, sempre, ampla e irrestrita participação dos associados no dia a dia dos Clubes.

Tema muito explorado durante um dos seminários. Claro que o desconforto não é pela premissa em si, a qual é fundamental para mais cem anos de Lions; mas sim por ver, no próprio FOLAC, aqueles que enfatizam, em suas palestras, estes predicados como fundamentais, agirem de forma totalmente diferente. Ou seja: façam o que propomos, mas não façam o que fazemos. Repetindo o mesmo esquema do ano passado, na Venezuela, os Diretores Internacionais e ex-Diretores se reuniram, de forma fechada, na qual, ao tomar conhecimento dos seus propósitos, a nossa PID Rosane não colocou a sua candidatura para este tipo de reunião. No início da seção de encerramento do FOLAC, o atual Diretor Internacional de último ano, em seu pronunciamento, anunciou, em plenário, que eles haviam decidido, em reunião, manifestar apoio ao PID Fabrício para a sua futura candidatura a 3ª. Vice-Presidente Internacional de Lions. Acrescentou, ainda, que o que os líderes decidiram, todos leões deveriam seguir. Assim que acabou de pronunciar estas afirmações, para surpresa dos componentes da mesa diretora e dos presentes no auditório, de forma silenciosa, os associados do DM LD, assim como de outros do Brasil e da área 3, se levantaram e se retiraram do auditório.

Com este claro gesto de repúdio, dos que se retiravam, por ver e sentir, claramente e explicitamente, se praticar exatamente aquilo que diz que não deve ser praticado nos Clubes, a organização da solenidade determinou baixar a cortina que encobria o palco, como forma de sugerir que um intervalo a solenidade havia sido estabelecido. Obviamente que esta manifestação repercutiu entre os detentores do poder em Lions. Não sei se por coincidência, mas as mesas onde estavam a maioria dos representantes do Brasil, durante o jantar de gala, foram as últimas a serem servidas, já quase no horário estabelecido para o encerramento do evento. Vários participantes já haviam acabado de jantar e já faziam filas aguardando a partida dos ônibus e nós ainda tentando jantar! Muito se comenta que o FOLAC não pode, oficialmente, indicar um candidato. No entanto, observando-se o que estabelece o estatuto do FOLAC, verificamos o seguinte (contribuição do CL João Carlos Belda – 1º. VDG DLC-2):

Artículo 13.- Los leones representantes de los clubes de leones que integran los distritos miembros, inscritos según el artículo anterior, inc. b), serán quienes ejerzan el derecho al voto, el cual es de carácter indelegable. Deberán estar presentes en la Asamblea, no pudiendo ser representados bajo ninguna circunstancia.

Artículo 15.- Las resoluciones o recomendaciones del FOLAC serán adoptadas por simple mayoría de votos de los delegados presentes, con derecho a voto. Las votaciones serán a viva voz, salvo que la Asamblea resuelva lo contrario, a propuesta del 20% de los representantes válidos o de la Comisión Administradora Permanente (CAP).

Ou seja, pelo Estatuto, os FOLAC podem, sim, oficialmente, indicar um candidato da área 3, desde que isto conste da programação oficial, haja credenciamento dos delegados dos Clubes (e não só entrega do material dos inscritos, como no Uruguai) e votação, com cédula, de forma democrática. Até o presente momento isto não aconteceu, possivelmente por receio do resultado ser o não desejado pelos detentores do poder. Todos sabemos que a PID Rosane já propôs, por várias vezes, que isto fosse posto em prática, a começar pelo próprio Brasil, mas nunca aceito pelo outro candidato e por todos que dizem ser seus padrinhos e protetores. Evidente que decisões tomadas, como a anunciada, carecem de validade estatutária, sendo, portanto, de direito, nulas. Saindo do FOLAC e analisando a nossa estada no Uruguai, vale destacar o altíssimo custo de vida vivenciado por sua população e, mais ainda, por nós turistas brasileiros, cuja moeda vale de 7 a 8 vezes mais do que a deles. Hotéis e bens de capital, ou de consumo, são anunciados em dólares. Na relação de R$ 1,00 para $7,50 pesos uruguaios, uma garrafa de água mineral, ou de refrigerante, custa R$ 12,00 com ligeiras variações.

Meio quilo de café moído, com grãos brasileiros e torrefação e empacotamento de produção Uruguaia, nos supermercados, varia de $ 121,00 a $ 190,00 pesos, ou seja, de R$ 16,00 a R$ 25,00. No brasil vivemos sufocados com a elevação dos preços e a inclusão absurda de impostos em alimentos (em média 34% destacado nos tíquetes dos caixas em supermercados) e em serviços; mas o Uruguai nos vence de longe. Lá estava sendo anunciado aumento de 300% no valor da energia elétrica e de 500% na Argentina. Nosso Clube esteve representado no FOLAC pelos seguintes associados: DG Danilo Escaramusa e esposa, CaL Maria Izabel; PCC Marco Antonio Pizarro da Silveira e esposa, CaL Vera Silveira; CL Rubens Medeiros e esposa, CaL Analia Dalago e CL Jorge Roberto de Almeida, totalizando sete participantes. O grupo da viagem foi composto, ainda, pelos seguintes CCLL e CCaLL: PDG Vilmar Capanema e esposa, CaL Cacilda (Canoinhas); PDG Herrmann Suesenback e esposa, CaL Gracelita (Corupá); PDG Ester Giraldi e esposo, CL Ireneo Waldir (Brusque); CL Carlos Eugenio de Melo e esposa, CaL Anuncia (Curitiba); CL Jailson Felipe de Souza e esposa, CaL Luciana (Balneário Camboriú); CL Valdir Reis e esposa, CaL Cecilia (Blumenau); CaL Lourdes Minella (Balneário Camboriú) e CaL Áurea Daldegan (Brusque), totalizando vinte e um membros.

A nossa PID Rosane, candidata a Vice Presidente Internacional, organizou especial salão para recepcionar os brasileiros, os dirigentes maiores internacionais e do Brasil, além dos associados dos vários países da América Latina. A PID Grudun, da Islândia, juntamente com o seu esposo, próxima 2ª. Vice Presidente a ser eleita no Japão, esteve presente, ensaiou algumas palavras em Português e disse que estará torcendo pelo sucesso da nossa candidata. Com certeza a vez dela chegará para representar, com competência e dignidade o Brasil e a nossa área 3. Também se fez presente o atual Presidente Internacional, IP Dr. Yamada, que foi saudado em japonês, fato que o emocionou e nos possibilitou ouvir, dele, breves palavras de saudação a nossa PID e aos brasileiros.

Enviar Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *